Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Todas as notícias > Notícias Principais > IFRS tem seu primeiro projeto de pesquisa aprovado no CNPq
Início do conteúdo da página

IFRS tem seu primeiro projeto de pesquisa aprovado no CNPq

Publicado: Sexta, 13 de Novembro de 2009, 10h48 | Última atualização em Sexta, 13 de Novembro de 2009, 10h48 | Acessos: 1641

O projeto "Utilização de resíduos agroindustriais para a produção de enzimas por cultivo em estado sólido" é o primeiro projeto de pesquisa do IFRS a ser aprovado pelo CNPq com aporte de recursos financeiros. O projeto, que já está em desenvolvimento no campus Porto Alegre desde 2008, é coordenado pelo professor Júlio Xandro Heck e receberá 10 mil reais para compra de equipamentos e reagentes.

 

Resumo do projeto:

em branco

Os materiais lignocelulósicos e pectinolíticos são a fonte de carbono mais abundante do planeta, representando, portanto, uma potencial fonte de energia renovável.. Entretanto, grandes quantidades de resíduos são acumulados anualmente, decorrentes da produção agrícola, beneficiamento de vegetais e de inúmeras outras transformações operadas com esses recursos naturais. A necessidade de agregar valor e de aumentar o leque de possíveis aplicações destes materiais tem estimulado o interesse no desenvolvimento de processos industriais que visem o aproveitamento destes resíduos. Este trabalho tem a intenção de ampliar o montante de conhecimentos sobre o aproveitamento de resíduos agroindustriais, mais especificamente a casca de soja e os resíduos gerados no processamento da uva, visando a sua utilização como substratos para o crescimento de bactérias ambientais produtoras de enzimas de interesse industrial (celulases, xilanases, pectinases e proteases), empregando-se sistemas de cultivo em estado sólido, desenhados e construídos para este trabalho. O projeto prevê também a concentração do extrato enzimático, bem como a caracterização bioquímica (pH, temperatura, inibidores e estabilidade) das enzimas produzidas. Além disso, as enzimas produzidas serão testadas quanto as suas possíveis aplicações em processos industriais, tais como maceração enzimática, visando uma maior eficiência nos processos de extração de polpa de frutas, e hidrólise de resíduos agroindustriais para a obtenção de concentrados de açúcares, que posteriormente poderão ser empregadas na produção de etanol.

 

Fim do conteúdo da página
ogle tag (gtag.js) -->